Mrauk, Myanmar

charming Mrauk

discovering Mrauk

a place not to forget ever
Mrauk é uma cidade remota e fora do circuito turístico, com templos espalhados por colinas baixas que se erguem a partir da floresta tropical.
Quando fizemos as pesquisas logo sabíamos que precisávamos passar por ali Mrauk  ou Mia-ú (como falam os Birmaneses).
O acesso é um combo de avião + carro ou barco. Em nossa chegada, resolvemos seguir por barco, uma viagem linda e tranquila de 06 horas com um magnífico pôr do sol de presente.
Esse foi nosso primeiro contato foi com a Birmânia. Ter a possibilidade de visitar um local onde poucos turistas vão é o tipo de coisa que gostamos e sem dúvida foi um dos lugares mais especiais e mágicos em que passamos pelo país.
A aventura começou com as 06 horas no barco que te colocam a pensar na vida nas coisas que realmente importam e as que você não precisa mais. A Birmânia tem um poder que só quem já foi pode falar. Chegamos a noite no hotel e logo fomos descansar.

Os templos de Mrauk U também estão dispersos por uma paisagem ainda habitada de pequenas aldeias, arrozais, montes arredondados e vacas pastando. Os agricultores trabalham seus campos e as mulheres buscar água dos poços entre os templos antigos e pagodas.

Mrauk é o  segundo sítio arqueológico mais famoso de Myanmar e  muito diferente de Bagan.

Na bela paisagem montanhosa do estado Rakhine centenas de templos antigos e pagodas se espalham, muitos dos quais são bem preservados e permanecem do império poderoso que uma vez floresceu aqui. Foram construídas entre o século 15 e 18.

Centrada em torno da cidade de Mrauk U a área arqueológica  é de 7 km2. Os templos confundidos com fortes, devido a grossas paredes de tipo bunker construídas para proteção dos ferozes ventos de Rakhine. Ao contrário de Bagan, são predominantemente feitos de pedra, não de tijolos.

Eles construíram numerosos templos e stûpas, cujo muitos existem aínda hoje. Os mais célebres são o templo de Shitthaung (Templo das 80,000 imagens ou Templo da Vitória), o templo de Htukkanthein (Sala de ordinação de Htukkan), o Koe-thaung (Templo das 90,000 imagens) e os cinco pagodes de Mahn.
De uma beleza espetacular, visitando os templos conseguimos encontrar monges caminhando ou mesmo ali sentados lendo seu livro.
O melhor de tudo, é provável que você tenha os templos praticamente vazios de turistas, cerca de 5.000 estrangeiros podem visitar a cidade anualmente.
Mrauk não tem aeroporto você vai precisar voar ate Sittwe e pousar no menor aeroporto do mundo, ou melhor em um que já fomos. Nem esteira ele tem mas logo um Birmanês fala com você e todo simpático vai buscar sua mala.
Viajamos com a empresa aérea Air KBZ por todos os trechos internos e não tivemos nenhum problema ! Fizemos com eles 05 voos e apenas um atrasou 30 minutos. Quando chegar no aeroporto não estranhe que ele não tiver computadores e sim uma lista de papel com seu nome então se você lembrar seria legal sempre um dia antes do seu vôo pedir na recepção do hotel para confirmarem seu nome.
Como Mrauk tem muitos e muitos templos e stupas nossa sugestão seria contratar um guia. O nosso custou   USD e o carro USD.
Nosso passeio de barco e chegada em Mrauk Princess teve um valor mais considerável por pessoa, de 310 USD, mas contando pelo passeio, comida maravilhosa e todo o cuidado, valeu a pena.
Aqui fica o contato da Grace (agente de turismo local) que nos atendeu e foi ótima, tudo foi melhor que o esperado:
email: info@myanmartikitour.com
website: www.myanmartikitour.com