Estradas do Chile | Parte II

- de Chaiten a Puerto Natales-
Confesso que Chaiten é uma cidade um pouco  triste por tudo que já passou. O problema com a última erupção do vulcão  de maio de 2009 foi muito devastador. As casas foram abandonadas às pressas e roupas, eletrodomésticos, mercadorias a venda nos supermercados foram todos deixados para trás, sem remorsos … Muitos nem voltaram para pegar o que restou. Outros voltaram e não querem sair nunca mais.
Chaiten era a capital da Província de Palena.
Partimos de Chaiten rumo a Puerto Natales que são 1.800 km em estrada de terra, via Futaleufu e Esquel, Argentina.
Logo no início, uma vista maravilhosa de um dos mais belos lagos da Patagônia. Lago Yelcho, paraiso para os amantes de pesca de mosca. Lá você vai encontrar um hotel com restaurante caso precise de uma parada.
Pouco serviço na estrada fique atento a gasolina e outras coisas necessárias para sua viagem.
O rípio da Carretera Austral não está aquelas coisas… Muitos buracos causados pelas chuvas e muito mal conservada em alguns trechos, apesar de estarem constantemente trabalhando e melhorando a estrada. Vimos muitos carros baixos seguindo pela estrada sem maiores problemas. Em alguns trechos tivemos que passar quase que parando por conta de nossa casa rodante por ser muito baixa.
Passamos em Villa Santa Lúcia. Para quem não sabe houve um grande desastre  em dezembro de 2017. Uma avalanche de lama invadiu o vilarejo deixando mortos e desaparecidos. Uma tristeza para quem acompanhou todo o acidente. Nesse Pueblo você vai encontrar  mini mercados e uns 3 cafés se for precisar de uma parada nesse ponto da viagem. Mas nada de posto de gasolina ok.
Seguimos estrada passamos por mais alguns pueblos pequenos até chegar a Futaleufu. Uma linda cidadezinha localizada na província de Palena. Esse é o destino preferido para esportes de aventura com raftitng e kayak. As cores do Rio Futaleufu são de azul turquesa claro do Caribe.
Essa cidade faz divisa com a Argentina de lá seguimos  em direção a Puerto Natales via Argentina.  Foram 2 noites na estrada com poucas paradas.
Vimos o pôr do sol mais lindo e colorido já visto na estrada! Foi uma surpresa terminar nosso primeiro dia de viagem assim.
Continuamos nosso caminho em direção a Ruta BIMODAL. Esse trecho é mixto, feito hora por balsas, e hora por estradas de pedras.
A navegação Hornopirén – Caleta Gonzalo são dois tramos a serem feitos:
O primeiro tramo: Caleta La Arena – Puelche. Caleta La Arena está localizado a 45 km de Puerto Montt, de onde saem as balsas para Caleta Puelche a cada 30 minutos. Para este percurso, não é necessária reserva prévia, no entanto, deve ser considerado que o embarque é feito por ordem de chegada. O pagamento pelo serviço é feito no navio. A viagem tem uma duração estimada de 45 minutos, durante a qual você pode descer do seu veículo e apreciar a paisagem dos espaços habilitados no barco para isso. A viagem marítima é feita atravessando o Estuário Reloncaví, uma viagem que oferece uma vista maravilhosa da costa florestal e da entrada para este belo fiorde chileno. Depois de desembarcar em Caleta Puelche, você deve percorrer 60 quilômetros de estrada para chegar a Hornopirén, onde sugerimos parar para dormir.
Nesse dia o mar não estava dos melhores, em um certo momento achamos que o trailer iria virar dentro do barco. Ondas fortes batiam e entrava um pouco de agua dentro do barco. Por nossa sorte a travessia pareceu ser menos que 45 minutos. Assim que atravessamos o céu mudou e um lindo por do sol estava acontecendo em nossa frente. Uma paisagem muito linda passava por nossas janelas, tentamos parar em alguns pontos mas sem sucesso. Nosso trailer mais o carro era muito grande para qualquer lugar sinalizado que apareceu em nossa frente. A estrada foi realmente linda.
Em Hornopirem decidimos que iriamos dormir já na fila para o barco. Chegamos umas 20:30 e achamos melhor já estar lá parados. No porto tem um lugar maravilhoso para se tomar um café da manhã (Café Faro) antes de embarcar na segunda balsa, e experimentar tortas deliciosas sem falar das empanadas. E se você for um amante de café vai encontrar uma grande variedade de etiquetas das mais distintas. Ele fica justo na rampa de acesso aos barcos.
Durante nosso trajeto o GPS mudou sozinho e fomos pelo litoral. Um erro que fez nos surpreender pela beleza do oceano que se mostrava `a nossa frente.  A estrada estava boa em alguns pontos e ruim em outros. Encontramos vários pontos de coleta seletiva pela estrada e isso nós surpreendeu.
A primeira noite dormimos na frente de um Bar-Museu,  bonitinho,  que encontramos por acaso na estrada. E a segunda noite entre caminhões em um posto de gasoline na Argentina.
Fique de olho nas placas por conta de gasolina os postos são realmente longes. Uma vez, nós chegamos a abastecer  quase que no limite. Tínhamos apenas 20km no tanque.
Por toda a Estrada, vimos a paisagem mudar o visual algumas vezes. Retas sem fim, trechos remotos, ventos fortes e uma luz desenhando os volumes, ilustraram grande parte dessa primeira grande aventura realizada com segurança e muita atenção. Nos deparamos apenas com um acidente, quase chegando no final do nosso percurso, ainda na Argentina, onde um carro capotou pois o motorista adormeceu dirigindo. Então, cuidado, motoristas e viajantes, essas estradas ao mesmo tempo que são lindas, podem causar sonolência devido as grandes e remotas distâncias.
COMO IR ?
Santiago, capital do Chile, recebe vôos diários de diversas companhias aéreas mundiais. Latam é a companhia local.
www.latam.com
QUANDO IR ?
Esse trecho é tranquilo realizar durante todo o ano. Mais ao sul da Patagônia, o inverno mais rigoroso e possibilidades de gelo na estrada faz com que o número de visitantes seja bem mais reduzido. Vale lembrar que na América do Sul, inverno ocorre entre junho e agosto e verão entre dezembro e fevereiro.
ONDE FICAR ?
SANTIAGO
Se você procura um hotel boutique, nossa sugestão é o charmoso Le Réve, localizado no bairro de Providencia.
www.lerevehotel.cl
Se quer um hotel de passagem, bem localizado e com um bom custo benefício, pode procurar o Atton Hotel de Vitacura.
Atton Vitacuira
ONDE COMER ?
Santiago é uma cidade cosmopolita e com ótimos restaurantes internacionais.
Nossa dica fica ir ao Baco, cozinha contemporânea excelente, carta de vinhos bem seleta.

BACO

Borago, um restaurante dos mais premiados da América do Sul, conta com uma experiência gastronômica com pratos criados pelo chef Rodolfo, trazendo cultura local para cada uma de suas criações.

BORAGO

para mais informações  acessem

click aqui : CHILE TRAVEL